O que aconteceria com a extinção das entidades de classe?

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

As entidades de classe, o que inclui sindicatos, uniões trabalhistas, associações e outras instituições desta espécie são fundamentais para a manutenção dos direitos dos trabalhadores, bem como manter uma democracia saudável, livre e justa. Você já parou para pensar o que aconteceria com a extinção das entidades de classe?

Neste texto, falaremos sobre o papel das entidades de classe e o que pode acontecer se elas forem enfraquecidas ou extintas. Confira!

Sucessivos ataques a direitos

Entidades de classe são instituições fundamentais, pois elas lutam diariamente para modificar a ordem social vigente, que é baseada em exploração. Assim, essas entidades defendem os direitos das classes que representam.

Recentemente, com as reformas das leis trabalhistas e da previdência social, as entidades de classe estão recebendo duros golpes por parte dos governantes, enfraquecendo a atividade dessas instituições com a falta de financiamento, e desde já podemos perceber os frutos desta fragilidade:

Com menor atuação de sindicatos, associações, uniões e outras entidades de classe, o salário do trabalhador pode ser diminuído pela ação patronal. Ainda que não sofram cortes, os ganhos dos profissionais poderão não receber reajuste na data base, diminuindo o rendimento do trabalhador pela inflação.

Levantamentos do setor sindicalista mostra que com a reforma trabalhista e a contribuição sindical opcional, o financiamento da ação dos sindicatos já sofreu um corte severo, prejudicando a ação dessas entidades tão importantes.

As consequências da extinção das entidades de classe

Toda classe profissional possui pelo menos uma entidade de classe que a representa e luta pelos seus direitos. Em um país sem estas instituições, a tendência é que os trabalhadores ou demais associados sofram com cortes de direitos, diminuição de rendimentos e extinção de vagas de trabalho.

Afinal, quando uma classe profissional é explorada ou ameaçada pela pressão patronal, são as entidades que lutam nas ruas, nas empresas e nos tribunais para que os trabalhadores sejam protegidos dos abusos de poder.

As entidades de classe são o “braço direito” do trabalhador e representam sua voz, nas lutas diárias que enfrentam. As entidades além de buscarem melhores condições de trabalho, visam pela qualidade de vida dos empregados e seus familiares. Por causa delas muitos trabalhadores hoje têm acesso à planos de saúde, vale refeição, vale transporte, descanso e outros benefícios que até desconhecemos, mas que são conquistados por elas com muita luta.

Entidades prestam serviços unindo trabalhadores

Com a extinção das entidades de classe, os importantes serviços que estas instituições prestam a seus associados também deixarão de existir. Muitas entidades, por exemplo, dão assessoria jurídica, apoio técnico, cursos ou auxílio na recolocação profissional. Todas estas ações são de suma importância, e poderão simplesmente ser extintas.

Sem uma entidade de classe que aglutine profissionais, associados ou trabalhadores, a tendência é que este grupo de pessoas se torne dispersa e, com isso, perca força política para brigar por melhorias. Dessa forma, é muito mais fácil para a elite política/econômica se organizar a fim de explorar o trabalhador e ganhar ainda mais privilégios.

Fundamental para uma sociedade justa

Em um país sem entidades de classe, os profissionais precisam trabalhar uma jornada de trabalho mais longa, mais intensa, com baixas condições de salubridade e nenhum suporte previdenciário. Ou seja, é trabalhar até morrer e sequer conseguir se aposentar.

Viu como as entidades de classe são extremamente importantes para um país? Lutar por elas e mantê-las vivas e atuantes são a melhor atitude que uma sociedade pode tomar.

© 2019 Castor - Sistema para associação e sindicato - Todos os direitos reservados.